A mansão dos Marinhos: jornalismo em “equipe”, de excelente qualidade

Marcelo Auler

*Reeditada às 08H51 desta segunda 15/02 para acréscimo de informação sobre o Tijolaco.com.br.

mansão dos marinhos

O DCM deu a partida, o RBA completou o levantamento, o Viomundo detalhou mais ainda e o JornalGGN de Nassif consolidou tudo: assim o leitor sabe com a mansão dos Marinhos se interliga às empresas investigadas pela Lava Jato.

Normalmente tenho o hábito – cada vez mais raro, é verdade de compartilhar artigos de outros blogs. Quando o faço, procuro apenas dar uma chamada, expor algum comentário e indicar o link. Assim, respeito o trabalho do colega e indico aos leitores o site onde houve a postagem original. Sei que sou dos mais novos entre os blogueiros, portanto, na verdade, ganho muito mais leitores dos antigos – notadamente dos amigos Luis Nassif (mais de 36 anos de amizade, responsável, inclusive, pelo chorinho de fundo musical do meu primeiro casamento) e o Fernando Brito, que passei a respeitar desde que exerceu dignamente a função de assessor de Leonel Brizola.

Hoje, furando esta regra, publiquei a integra do blog de outro amigo pessoal, tão antigo como Nassif, o Ricardo Kotscho, meu vizinho de mesa na antiga redação da Folha de S. Paulo e o jornalista que levou a Folha a aderir a campanha das Diretas Já, história que um dia contarei aqui. Mas, ao reproduzir seu comentário na postagem – Um sopro no blog: “A Caravana Tonteira” lá em sampa – minha intenção não foi lhe roubar leitor, pois isso seria até pretensioso, mas homenagear amigos comuns que estão fazendo um belíssimo show lá em São Paulo, a Letícia Sabatella e o Fernando Pinto.

Agora, porém, tem um caso em que nem vale eu tentar compartilhar. O melhor que faço é recomendar a leitura direto na fonte de “O condomínio Solaris pode ter sido o Riocentro da Lava Jato“. No site do Luis Nassif é possível se ter uma visão geral das voltas que o mundo dá e como a Operação Lava Jato acaba esbarrando na família Marinho. Ele, de forma didática, explica item por item esta historia que se algum dia alguém tivesse escrito como roteiro de cinema ou livro todos classificariam de delírio. Das explicações de Nassif se chega em outros trabalhos não menos magníficos como a reportagem de Renan Antunes de Oliveira para o DCM do Diário do Centro do Mundo – “Nosso repórter foi ao verdadeiro triplex o dos Marinhos“,  a descoberta de Helena Sthephanowitz, no RBA (Rede Brasil Atual) descrita na postagem Mansão de donos da Globo é alvo da Lava Jato no esquema Mossack Fonseca e, por fim, o detalhado levantamento que levantado pelo Viomundo em O que a Polícia Federal já sabe sobre a Mossack Fonseca e como o laranjal se relaciona com a casa dos Marinho em Paraty. Jornalismo se faz assim e eu aplaudo a todos.

* Ao quatro blogs que apuraram a história da mansão, acrescento mais um, o www.Tijolaco.com.br, do batalhador Fernando Brito, que deu mais um passo na apuração com a matéria Exclusivo: helicóptero dos Marinho foi registrado pela “agropecuária” dona da mansão em Paraty. Fundamental a leitura.

10 pensamentos sobre “A mansão dos Marinhos: jornalismo em “equipe”, de excelente qualidade

  • 14 de fevereiro de 2016 em 20:10
    Permalink

    É inevitável concluir que o jornalismo tradicional, aquele feito nas redações dos grandes jornais e revistas e mesmo nas TVs, esta chegando ao fim. A internet veio para desnudar a suposta parcialidade da mídia corporativa deixando claro que ela é sim uma participante deste jogo.

    Sites como o do Luiz Carlos Azenha, que me abriu os olhos para muita coisa que desconhecia, do Luis Nassif, do Fernado Brito e mais recentemente o seu aqui no Brasil e do Sputnik Brasil e RT News de fora nos fazem enxergar o mundo de uma maneira bem mais clara e imparcial. Creio que quando esses sites aqui no Brasil conseguirem monetizar o seu conteúdo será o dia do golpe fatal nessa quadrilha que dominam a comunicação no Brasil.

    Responder
    • 16 de fevereiro de 2016 em 05:39
      Permalink

      É pena que esse “jornalismo em equipe de excelente qualidade ” nunca aparece quando se trata de investigar algum, dos muitos , bilionários casos de corrupção envolvendo o petê, né mesmo ? Um estrangeiro que fizesse uma leitura diária desses bloguinhos amestrados julgaria que os índices de corrupção no governo brasileiro seriam semelhantes aos do Canadá ou Austrália !

      Responder
  • 15 de fevereiro de 2016 em 09:00
    Permalink

    A matéria de vcs blogueiros “unidos” foi como sempre excelente,mas uma coisa me incomoda e muito é a eterna mania de se preocuparem com a plinplin.
    Essa mania ,nada mais é do que (na prática) propaganda da dita cuja(falem mal mas falem de mim).Quem estiver interessado na opinião da plinplin(o que não é o meu caso,até F 1 assisto sem som) que o faça mas não de, certa forma, incentivado por vcs.
    Como paulista,p da vida pelo eleitor de SP ter caído no golpe eleitoral,com a enorme ajuda da mídia podre;fiquei com inveja da matéria,parabéns a todos.

    Responder
  • 15 de fevereiro de 2016 em 14:42
    Permalink

    Lendo o conjunto de reportagens tenho cada vez mais a certeza e a convicção de que os jornalistas independentes devem se associar e montar um portal de notícias. Os blogs, da foram isolada como têm atuado, não possuem a força suficiente para desbancar a mídia comercial hegemônica.

    Responder
    • 15 de fevereiro de 2016 em 18:09
      Permalink

      Muito boa essa idéia, fantástico mesmo.
      Só esse time de guerreiros unidos, pode dar alguma esperança de um horizonte mínimo de ética e compromisso para o jornalismo nacional.

      Responder
    • 15 de fevereiro de 2016 em 18:04
      Permalink

      Vai ver que é outro helipóptero dos Perrela…

      Responder
  • Pingback: Quanto Mais Mexem… Mais Sujeira “Deles” Vindo à Tona… Mas… | Diary de uma Cadeirante Cinefila

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>